VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Translate

18 de abr de 2012

Exegese nos dias de hoje



Falaremos hoje sobre a Exegese...

Por se tratar de uma matéria muito requisita pelos internautas, até mesmo com pedidos de apostilas, vou postar aqui um breve relato do que é realmente a exegese, e o que ela faz. 

Vale lembra que exegese e hermenêutica, não é a mesma coisa, mas ambas se completam senão vejamos: 

Hermenêutica é como um livro de receitas, com regras de como fazer um bolo; Exegese é a preparação do bolo; exposição é a entrega do bolo para alguém comer.” Zuck. 

Por tanto, não tem como fazer uma boa exegese sem utilizar as ferramentas da hermenêutica. 


Exegese é a interpretação profunda de um texto bíblico, jurídico ou literário. A exegese como todo saber, tem práticas implícitas e intuitivas. A tarefa da exegese dos textos sagrados da Bíblia tem uma prioridade e anterioridade em relação a outros textos. Isto é, os textos sagrados são os primeiros dos quais se ocuparam os exegetas na tarefa de interpretar e dar seu significado. A palavra exegese é oriunda do grego exegeomai, exegesis: ex tem o sentido de retirar, derivar, ex-trair, ex-ternar, ex-teriorizar, ex-por e "hegeisthai" o de conduzir, guiar. 


Por isso, o termo exegese significa como interpretação, revelar o sentido de algo ligado ao mundo do humano, mas a prática se orientou no sentido de reservar a palavra para a interpretação dos textos bíblicos. 

Exegese, portanto, é a denominação que se confere à interpretação das Sagradas Escrituras desde o século II da Era Cristã. Orígenes, cristão egípcio que escreveu nada menos que 600 obras, defendia a interpretação alegórica dos textos sagrados, afirmando que estes traziam, nas entrelinhas de uma clareza aparente, um sentido mais profundo. 

O termo exegese restou ligado à interpretação alegórica, ensejando abusos de interpretação, a ponto de alguns autores afirmarem, ironicamente, que a Bíblia seria um livro onde cada qual procura o que deseja e sempre encontra o que procura. 

Ser exegeta é contextualizar o que foi escrito com a cultura da época e extrair os princípios morais para o tempo presente. 

Por tanto a EXEGESE significa tirar o significado do texto bíblico, extrair a verdade da verdade absoluta que é a Palavra de Deus, ao contrário à EISEXEGE que é impor significado ao texto bíblico. 

Para ser um bom exegeta, deve-se levar em conta alguns princípios e ter em mente que, o que sair do exegeta não pode sobrepor à verdade ou se quer diminuí-la, porque somos apenas intérpretes, usando a palavra de Deus como base, reconhecendo que toda ela fora inspirada pelo Espirito Santo de Deus, então grandessíssima é a sua responsabilidade. E na verdade não queremos com a exegese inspirar novas escrituras ou textos, e sim, trazer aos dias atuais para o nosso tempo o texto de tempos anteriores, sem mais ou menos, apenas fielmente o que Deus falou no passado, atualizado para os dias de hoje. 

Sempre que formos praticar a exegese devemos levar em conta somente a Palavra ou texto Sagrado, deixando de lado e fora do trabalho exegético todo e qualquer pensamento ou prática qualificado como: 

RACIONALISMO – coloca a mente humana acima da revelação divina. Tira tudo o que é tido como sobrenatural, como os milagres. 

MISTICISMO – coloca os sentimentos ou a experiência humana acima da revelação de Deus. O neo-pentecostalismo extremado, por exemplo, que aceita as “novas revelações” em detrimento às Escrituras. 

ROMANISMO – põe a igreja acima da Bíblia. A tradição e as declarações papais “ex cátedra”, tem a mesma autoridade da Bíblia. 

SEITAS – elevam os escritos de seu fundador acima das Escrituras. Ex: Mormonismo, Tabernáculo da fé, Adventismo, Testemunhas de Jeová etc. 

A ALTA CRÍTICA – coloca as pressuposições do crítico liberal acima da Bíblia. Colocam às Escrituras em pé de igualdade com qualquer outro livro. Ou a Bíblia está acima de qualquer livro ou não é o livro de Deus. 

NEO-ORTODOXIA – diz que a Bíblia não é a Palavra de Deus, senão que se transforma em Palavra de Deus quando fala ao coração do leitor. De maneira sutil, se transmite assim a autoridade das Escrituras ao leitor, onde à luz de “seu coração” se quando Deus fala e quando não. (contra Jr 17.9). 

OUTRAS “ESCRITURAS” – Com freqüência se diz que a Bíblia é só mais um livro sagrado. Se afirma que as outras religiões também têm suas escrituras . É evidente que nenhuma destas «escrituras», com exceção do Alcorão, pretende ser uma revelação de Deus. 


           Além do mais para boa prática da exegese, deve-se levar em conta e utilizar vários escritos e/ou versões bíblicas, não existe exegese apenas de uma versão. 

Existem no mercado varias traduções bíblicas, até mesmo em outras línguas. 

Fundamental é que o exegeta conheça ao menos outro idioma, de preferência bíblico ou próximo dos escritos para se embasar com lucidez nos textos sagrados. 

Posso recomendar, dentre muitas boas versões, a Almeida Revista e Atualizada (RA) e a Nova Versão Internacional (NVI). 

Esta edição de Almeida foi selecionada por ser uma das mais conhecidas em nossa língua e amplamente utilizada nos livros acadêmicos, periódicos e como texto-base das principais Bíblias de Estudo. A NVI é uma versão produzida por um grupo competente de eruditos evangélicos, pertencentes a diversas denominações. 

Suas principais características são: linguagem clara, riqueza exegética e informativa, com diversas notas que trazem explicações de todo tipo e em alguns casos apresenta traduções alternativas, inclusive qual seria a tradução literal. 

Para exegese do texto hebraico do Antigo Testamento indico a Bíblia Hebraica Stuttgartensia (BHS) editada pela Deutsche Bilbelgesellschaft. Esta é a edição crítica padrão do Texto Massorético, amplamente utilizada pelos eruditos bíblicos nas principais universidades e seminários teológicos ao redor do mundo. 

A BHS compõe-se de quatro partes principais: (1) texto bíblico hebraico; (2) o aparato massorético referente à Masora Magna; (3) a Masora Parva e (4) o aparato crítico. O texto hebraico utilizado na BHS é a reprodução de um manuscrito massorético do início do século XI, o Códice L, que se encontra em Leningrado, Rússia. 

Recomendo também a leitura do Manual da Bíblia Hebraica: introdução ao texto massorético de Edson de Faria Francisco , que é professor de Exegese do Antigo Testamento na Universidade Metodista de São Paulo. 

Enfim hoje podemos nos valer de vários recursos para uma boa exegese, primeiro nos desprendendo do orgulho, perguntando, pesquisando, comprando, vendendo e trocando materiais e informações com outros exegetas. 

Vale lembrar que nem o Senhor Jesus andou só, mas escolheu 12 para estarem ao seu lado, escolha pessoas que queiram crescer como você, que têm sede de sabedoria e conhecimento, e juntos vamos voltar as origens... 

Hoje o que muito se vê, são pregações sem conteúdo, sem um bom início, mas com um fim já programado, pré-definido “ Prosperidade”. 

Um movimento ou nova prática podemos até dizer assim, que se infiltrou na igreja foi o liberalismo teológico junto com seu derivado, o humanismo. Graças a estes maus congêneres, a autoridade da Escritura foi rejeitada e substituída por um falso evangelho centralizador, que traz e faz tudo em torno do homem, esquecendo-se de Cristo. Isto hoje infelizmente faz parte da pregação e fita como alegoria adoração da Igreja, pois o homem hoje se esqueceu que a adoração é para Deus, e não para astros e estrelas, assim como o culto é para Deus e não para os homens. 

Podemos observar que hoje os temas das mensagens giram mais em torno de: 

( O que eu preciso, ou O que eu quero hoje, o que eu devo fazer para me sentir bem ) Vale lembrar que a Igreja e a Bíblia, não é lugar nem livro de auto-ajuda. 

Os temas bíblicos de cunho teológico, exegético, verdadeiros e centrados na palavra, foram expurgados dos púlpitos modernos e não são ouvidos hoje em dia. Temas como, a ira de deus, o pecado do homem, O evangelho que restaura, a Volta de Jesus e outros mais; foram trocados por temas tais como, “como ser bem-sucedido”, “7 passos para tomar posse”, “você deve se sentir bem”. 

Com tudo isso creio eu como exegeta, teólogo, pastor,  uma boa exegese, feita com afinco e profundidade, seja a cura para tal meninice. 

Graça e Paz! 

Pr. Jeferson 

Um comentário:

  1. como fora dito com toda a clareza,isso sim é uma grande revelação para mim com bases de interpretações ,como ter conhecimento dos estudos da bíblia,não impor limites para fazer aquilo pela qual formos chamados , e principalmente ter a sabedoria do senhor (meu deus), para que assim seja feita a vossa vontade. assim as interpretações e revelações feitas atra-vez do espirito santo de deus possam ser relatadas com sabedoria,levada ao nosso coração e ao nosso espirito e alma ,sendo assim fazendo parte da minha vida. hoje e para todo sempre amém. OBS. gostei muito da exegese.100% de aproveitamento . welton paixão (SERVO DO SENHOR).

    ResponderExcluir

Graça e Paz!
Seja muito bem vindo, comente com moderação e respeito, o espaço está aberto para todos, evite palavras indecorosas e respeite a opinião dos demais comentaristas!!!